Uma Iniciativa Logo Softplan

Como um ente público pode viabilizar a transparência?

2 min. para leitura 05/03/2018

A transparência é um dos valores que deve nortear a gestão pública, já que estimula a participação social e aproxima a sociedade dos seus representantes. Mas segundo a pesquisa sobre o Índice de Percepção da Corrupção, realizada pela organização Transparency International, o setor público do Brasil ainda não está em uma posição favorável no ranking. No levantamento de 2014, o país ficou em 69º lugar entre 175 países avaliados e obteve 42 pontos na escala de pontuação que vai de 0 a 100, na qual 0 representa um país altamente corrupto e 100 um país transparente e livre da corrupção.

Entre as recomendações feitas pela Trasparency Organizational para melhorar a percepção e a transparência da gestão pública brasileira estão:

  • Fim do tráfico de influência;
  • Aplicação de uma lei que obriga todos os níveis de governo a divulgar os dados do  orçamento  em tempo real;
  • Mecanismos de acompanhamento e supervisão mais fortes para impedir a corrupção na contratação pública;
  • Aplicação de regulamento de financiamento político e de campanha para manter a integridade do processo eleitoral;
  • Embora desde 2012 tenha entrado em vigor a lei do acesso à informação pública, muitas instituições governamentais ainda precisam implementar estas disposições para fornecer documentos à sociedade.

Como uma alternativa para contribuir para o quesito de transparência da gestão pública, a Softplan desenvolveu uma ferramenta que permite o gerenciamento de grandes volumes de documentos, nos prazos e formatos exigidos pela legislação vigente. A ferramenta promove uma mudança cultural apoiada na adoção de novas metodologias de trabalho, o que resulta em celeridade, maior produtividade e transparência para a gestão pública. O uso de softwares de gestão facilita a movimentação e a disponibilização de dados aos cidadãos, que podem fazer buscas e acompanhar processos administrativos pelo portal de atendimento ao cidadão.

Para que haja um incentivo à transparência da gestão pública, é importante também que o cidadão tenha consciência do seu papel primordial na busca e no acompanhamento do que ocorre no governo, para que possa participar e cobrar resultados. Esse princípio básico de participação deve ser trabalhado nas escolas, para a formação de pessoas críticas e engajadas nas políticas públicas.