Uma Iniciativa Logo Softplan

Tendências de inovação para o setor público agregam competitividade à gestão pública

4 min. para leitura 27/09/2019

Inovar é muito mais do que apenas fazer algo novo ou diferente. O elemento essencial, o que não pode faltar em uma ação para que possamos chamá-la de inovadora, é a melhora que resulta da mudança. Portanto, para analisar as tendências de inovação para o setor público, deve-se avaliar o que foi transformado para melhor após a introdução de uma nova tecnologia ou de uma forma diferente de prestar determinado serviço à sociedade. Se houve melhora, houve inovação, se nada melhorou, então temos apenas uma novidade.

Obter uma vantagem competitiva em relação à concorrência sempre foi o principal objetivo da inovação. Por isso, melhorar a qualidade de um produto ou serviço, aumentar a produtividade, reduzir custos de produção e operação, aumentar as margens de lucro são os principais motivadores da inovação quando se fala em economia tradicional e setor privado. Mas, nos dias de hoje, nenhuma organização, seja privada ou pública, sobrevive no ambiente concorrencial se perseguir apenas estas metas, que, em última análise, beneficiam prioritariamente apenas o próprio negócio.

Inovar destrava máquina pública e fortalece a confiança nas instituições

E por que o Estado, que aparentemente não tem concorrentes, se preocuparia em inovar? Ocorre que os governos passaram a perceber, em tempo real, que a demanda da sociedade por maior participação nas decisões, por transparência nas ações e por melhores serviços públicos expressa nas redes sociais e nos diversos canais de manifestação popular que se proliferam na web. A inovação na gestão pública, ao promover melhorias nos processos administrativos, possibilita que o Estado supere os obstáculos burocráticos e a sempre presente restrição orçamentária para oferecer serviços novos, melhores e mais eficientes à população, restabelecendo a relação de confiança da sociedade nas suas instituições democráticas.

Hoje, a sociedade espera de uma organização, seja uma empresa ou um órgão público, iniciativas inovadoras que proporcionem, também, melhorias no seu relacionamento não apenas com os seus consumidores, mas com os diferentes segmentos atingidos direta ou indiretamente por esta organização e com o meio ambiente. Com isso, o uso de novas tecnologias e processos para inovar, tanto nas empresas como na gestão pública, deve levar em consideração, também, a melhora da capacidade desta organização em termos de compliance, accountability e sustentabilidade.

Estes novos atributos exigidos das organizações pela sociedade, fazem com que as iniciativas de inovação do setor público e do setor privado se aproximem cada vez mais. Assim como as empresas modernas passaram a incorporar valores que antes eram esperados ou exigidos mais do setor público, como a transparência, por exemplo, os órgãos públicos passaram a adotar metas típicas do setor privado, como a produtividade, a eficiência e a economia.

Demandas por transparência e serviços melhores motivam governos para a inovação

Segundo um relatório do Observatório da Inovação do Setor Público da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, que reúne mais de 30 nações, as demandas crescentes e contínuas da sociedade por maior transparência e por serviços públicos de qualidade e mais eficientes estimularam os governos a promover a inovação no setor público com canais e processos que proporcionam maior interação com empresas e cidadãos. Em um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), os especialistas em políticas públicas e gestão governamental Pedro Cavalcante e Bruno Queiroz Cunha, revisando a bibliografia sobre o tema produzido somente esse século, identificaram as seguintes tendências de inovação na gestão pública, em diferentes países:

  • Melhoria dos mecanismos de transparência e responsabilização (accountability);
  • Ampliação do acesso e da participação na administração por meio de governo eletrônico (e-government);
  • Novas políticas públicas que incentivem os cidadãos a contribuir na produção de bens públicos;
  • Atuação em rede e parceria com órgãos e empresas governamentais e estatais, segmentos e organizações sociais e da iniciativa privada;
  • Uso das tecnologias de comunicação e informação para melhorar a qualidade e a eficiência dos serviços públicos.

Estas tendências tornaram-se possíveis graças à introdução de novas tecnologias e metodologias de gestão no setor público, como os sistemas baseados em inteligência artificial (IA) e em machine learning e o uso de técnicas de design thinking e service design. Estas metodologias foram incorporadas para que gestores e servidores aproveitem ao máximo as possibilidades de inovação proporcionadas pela transformação digital na administração pública.

Tecnologia e inteligência artificial alimentam tendências de inovação para o setor público

A inovação transforma até mesmo as áreas que historicamente são citadas como exemplos de morosidade no setor público, como é o caso da Justiça. Com a adoção do SAJ (Sistema de Automação da Justiça), a solução da Softplan para a área jurídica, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), o maior da América Latina, conseguiu redesenhar os procedimentos e reduzir em 90% o tempo de tramitação dos processos. Além de tornar o trâmite de processos mais eficiente, a inovação impactou inclusive na sustentabilidade da atividade do Judiciário, pois, ao eliminar a circulação física de documentos, acabou com o consumo de 600 toneladas de papel por ano pelo TJSP.  

Outro exemplo de solução inovadora é a 1Doc, plataforma web de comunicação, atendimento e gestão documental para órgãos públicos, que é parte do portfólio de produtos da Softplan. O sistema possibilita uma comunicação mais efetiva das prefeituras com seus servidores, diferentes setores administrativos, fornecedores e com a sociedade. Adotada por prefeituras de diferentes portes pelo Brasil inteiro, a plataforma elimina o papel e, em quase quatro anos, já evitou mais de 10 milhões de impressões.

A inteligência artificial é a base do InnovaCity Inteligência Fiscal, solução da Softplan que permite à prefeitura o monitoramento completo das atividades econômicas do município. Uma das prefeituras que usam o sistema, situada no litoral catarinense, conseguiu recuperar, em apenas dois meses, R$ 274 mil em ISSQN sonegado por profissionais autônomos. O sistema também usa a mineração de dados e o cruzamento de informações de todos os bancos de dados públicos disponíveis em cada ramo de atividade fiscalizado e, com o emprego da IA, consegue detectar os possíveis sonegadores e emitir a notificação. No caso desta prefeitura, 100% dos 203 profissionais notificados regularizaram a situação espontaneamente.

O ponto em comum entre as tendências de inovação para o setor público e os casos aqui apresentados para ilustrá-las é a melhoria na prestação de serviços para o cidadão, que se dá de forma mais transparente, com um impacto positivo também no desempenho da máquina pública, que se torna mais sustentável e produtiva. Assim, a inovação traz para o setor público atributos que antes costumavam ser esperados e exigidos apenas de marcas e empresas por seus consumidores e transforma estes atributos, também, em referenciais de cidadania.Solar