Uma Iniciativa Logo Softplan

Melhore o uso dos recursos públicos com sistemas de gestão de obras

3 min. para leitura 28/06/2019

Uma instituição que se preocupa em utilizar os recursos públicos de forma correta e idônea deve ter muita atenção à gestão e qualidade de entrega das obras públicas. A boa condução deste processo passa pelo planejamento estratégico, o controle rigoroso de todas as etapas, com atenção especial aos custos, e, claro, à transparência. A utilização de ferramentas digitais especializadas é um apoio essencial nesta hora.

A visualização em tempo real de todos os passos de uma obra pública permite acompanhar com precisão cada atividade realizada. Assim, gestores, orçamentistas e fiscais têm a certeza de que os investimentos em insumos e serviços estão sendo empregados da melhor maneira possível, sem desperdícios e garantindo a qualidade do empreendimento. Este maior controle também ajuda a minimizar a inclusão de aditivos de contrato por conta de orçamentos imprecisos, aperfeiçoando a execução dos trabalhos e a prestação de contas.

Com as informações sempre atualizadas, as tomadas de decisões são mais assertivas e rápidas, e a divulgação de informações aos cidadãos mais transparente. Portanto, os sistemas de gestão de obras são capazes de oferecer um acompanhamento eficaz e bastante detalhado do andamento dos trabalhos, evitando erros comuns como os que acontecem nas planilhas de Excel. Do fluxo de trabalho à gestão arquivística, tudo é minuciosamente monitorado.

Como garantir a qualidade da obra e usar os recursos públicos com eficiência?

O monitoramento eficiente do andamento dos trabalhos garante que as obras sejam finalizadas dentro do prazo, respeitando os custos previamente estabelecidos, sem que haja superfaturamentos ou outros tipos de irregularidades e, ao final, estes empreendimentos possam atender às demandas dos cidadãos. Mas, apesar da importância desta atividade, ainda é muito comum vermos profissionais trabalhando com ferramentas genéricas, como planilhas eletrônicas que ajudam no processo de fiscalização, mas não oferecem o detalhamento necessário.

Por outro lado, os sistemas especializados (softwares) em gestão de obras públicas possibilitam um maior controle sobre os projetos. Por serem especializados nesta categoria de serviço, eles conseguem reunir todas as normas e pré-requisitos necessários para que a Administração Pública cumpra com excelência o que pede a legislação, entre elas a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Estas plataformas ajudam a organizar com mais precisão o orçamento, exigência prevista na Lei Complementar 101/2000. Além disso, apoiam a validação da composição de custos, mantendo-os sempre atualizados e facilitam a guarda de documentos importantes como NFs. O trabalho do fiscal também é beneficiado, porque ele pode acompanhar e atualizar em tempo real o andamento da obra, gerando relatórios para atestar se há ou não a necessidade de liberar novos recursos, entre outras obrigações pertinentes à sua função.

A importância de escolher um sistema adequado à legislação

Entre os critérios analisados para a adoção de um sistema de gestão de obras, um ponto importante é que esta solução esteja alinhada à legislação, especialmente a Lei 8.666 e o Decreto. Estas duas regulamentações instituem normas para orçamentos, licitações e contratos da Administração Pública. Neste caso, um software como o Obras.Gov, da Softplan, é a ferramenta ideal, pois além de contemplar todas as normas vigentes, permite gerenciar com eficiência e agilidade a aplicação dos recursos públicos para garantir uma entrega de qualidade.

Vale destacar que a solução está presente nos principais departamentos de infraestrutura e obras do País, há mais de 20 anos. Nesse período, foi responsável pela geração de 20 mil orçamentos para contratação de obras e pelo controle da execução físico-financeira de mais de R$ 600 bilhões em contratos.

A tecnologia permite ainda a importação das tabelas atualizadas do SICRO e SINAPI, amplamente utilizadas para a definição de preços de referência para licitações de obras. Outro diferencial é a possibilidade de criar uma composição personalizada para cada órgão, adaptando os valores de acordo com a localidade da obra. Além disso, antes de finalizar o orçamento, o Obras.Gov faz a checagem de todas as informações e alerta, caso algo esteja fora de conformidade.

Mais benefícios do Obras.Gov

Como a solução da Softplan permite um melhor planejamento de todo o projeto, inclusive no que diz respeito ao controle orçamentário, o risco de ter de fazer alterações no decorrer do processo é muito menor. Isto ajuda a evitar um problema muito comum – e bastante polêmico, porque envolve aumento de custos – que é a inclusão de muitos aditivos no contrato de execução de uma obra.

Os ajustes necessários, aliás, são realizados com grande controle. Isto é possível porque o próprio software bloqueia ações diretas na planilha de serviços. Depois que o documento é aprovado e os valores estabelecidos, qualquer inclusão ou exclusão de itens só pode ser realizada por meio de um aditivo aprovado oficialmente.  

Como vimos, o uso de sistemas de gestão de obras como o Obras.Gov auxilia as instituições públicas de várias maneiras. A solução desenvolvida pela Softplan permite que os órgãos governamentais utilizem com mais racionalidade os recursos públicos, aprimorando a qualidade dos projetos que estão sendo executados, além de garantir eficiência no controle de gastos e mais transparência na prestação de contas.

Para mais informações sobre o Obras.Gov, fale com os nossos especialistas.