Uma Iniciativa Logo Softplan

Prestação de contas: passo importante para o progresso do cofinanciamento

2 min. para leitura 08/01/2016

A correta e transparente prestação de contas é fator primordial para os bancos financiadores internacionais e uma condição para que o cofinanciamento seja mantido. Há uma série de pré-requisitos a serem cumpridos desde a aprovação do pleito, e muitos mutuários têm sérias dificuldades em atendê-las, principalmente quando se tratam dos extensos relatórios que devem ser apresentados regularmente.

Atenção na prestação de contas aos agentes financiadores

Cada órgão financiador define exigências específicas, mas há regras comuns para que o cronograma seja realizado de forma correta. A periodicidade para a prestação de contas, por exemplo, serve como um acompanhamento constante, que requer tempo e organização. O mutuário deve resumir o andamento do projeto através de um conjunto de relatórios pré-definidos que abastecem o sistema financiador com as informações necessárias para o andamento do projeto.

De forma simplificada, é preciso comprovar todo o ciclo do empréstimo: a prestação de contas justifica e sinaliza o uso do dinheiro, onde foi gasto, se houve licitação e em qual modalidade e qual a taxa de câmbio no dia da compra, entre outras informações. Para facilitar este trâmite, os organismos multilaterais de crédito exigem que o mutuário use um software para gerenciamento de projetos com financiamento externo, que vai organizar os dados e manter em dia todos os relatórios, garantindo uma prestação de contas de forma transparente e ágil. Já mostramos como um software auxilia o gestor nesse processo, que ocorre, geralmente a cada seis meses.

É possível fazer tudo de forma manual, com planilhas de Excel e avaliações avulsas? Claro que sim. Porém, será necessário investir em uma equipe maior e ter mais tempo para a produção dos relatórios, o que pode ser inviável por conta do padrão exigido pelo próprio credor, além de, possivelmente, causar atrasos no projeto. Se o mutuário não conseguir elaborar os relatórios, terá que informar ao banco e solicitar mais prazo ou corre o risco de ter o projeto estacionado por falta de informações.

Para a prestação de contas é preciso seguir à risca as diretrizes estabelecidas pelo próprio mutuário nas fases iniciais de preparação do projeto. Parece fácil, mas são muitas particularidades a serem cumpridas detalhadamente e um sistema específico vai auxiliar o desenvolvimento de todo o processo e pode minimizar possíveis falhas.

Como você presta contas dos financiamentos externos que gerencia? Utiliza softwares específicos para controle ou está em busca de orientação? Compartilhe suas dúvidas e sugestões nos comentários abaixo.