Uma Iniciativa Logo Softplan

Financiamento BNDES: organize seu projeto para receber recursos

3 min. para leitura 15/04/2019

Um dos maiores desafios dos estados e municípios é ter acesso aos recursos necessários para garantir a ampliação da infraestrutura e dos serviços e melhorar a vida dos cidadãos. Principalmente no caso de obras de mobilidade, saneamento ou energia, em que o volume de verbas é altíssimo, nem sempre as autarquias têm o dinheiro disponível em caixa. Por conta disso, muitos órgãos vão buscar o apoio de agentes financeiros e uma das opções disponíveis no mercado é o financiamento BNDES.  

O Banco Nacional de Desenvolvimento vem dando mostras, inclusive, de que pretende se aproximar cada vez mais do setor público. Isso significa que este é um ótimo momento para colocar o seu projeto em prática. Mas você sabe como funciona este mecanismo de financiamento? Conhece quais são os tipos de projetos que podem receber recursos e o que fazer para que a sua solicitação seja aprovada? Preparamos um post para explicar todas as questões envolvidas neste tema.

Que tipos de projetos podem receber financiamento BNDES

O BNDES tem uma lista ampla de projetos que podem ser financiados em diferentes setores e para variados fins. Somente para a área da infraestrutura, uma das que mais demandam investimento, são pelo menos 12 tipos de apoio. As verbas podem ser destinadas desde projetos de eficiência energética e adoção de alternativas menos poluentes até a aquisição de equipamentos destinados à segurança pública.

Confira a seguir tudo o que pode ser financiado pelo BNDES:

  • Investimentos para implantação, expansão, modernização e/ou recuperação de empreendimentos, infraestrutura, empresas e instituições públicas e privadas, incluindo estudos, projetos, obras civis, instalações, treinamentos, entre outros;
  • Produção ou aquisição de máquinas e equipamentos novos, de fabricação nacional e credenciados pelo BNDES;
  • Bens novos, insumos, serviços e softwares;
  • Capital de giro;
  • Exportação de bens e serviços nacionais;
  • Aquisição de bens e serviços importados, desde que haja comprovação de inexistência de similar nacional.

Depois de confirmar se o seu projeto está entre os que podem receber financiamento BNDES, é preciso definir como os recursos serão solicitados. São duas as formas:

  • Diretamente – em que o pedido deve ser enviado ao Departamento de Prioridades (DEPRI) do BNDES, por meio de um roteiro modelo;
  • Indiretamente – via uma instituição financeira credenciada pelo Banco.

Embora as etapas até a aprovação alterem um pouco entre estes dois modelos, o fato é que para ter acesso aos recursos, os projetos precisam passar por uma análise detalhada, seja por parte do próprio BNDES, seja pela instituição contratada.

Esta avaliação vai indicar aspectos como a viabilidade econômico-financeira, as garantias oferecidas para cobertura dos riscos, a segurança jurídica, a regularidade fiscal e previdenciária e o atendimento às normas ambientais. Por isso, é tão importante que este documento esteja bem organizado.

Pontos importantes para a captação de recursos via BNDES

Elaborar uma proposta com o objetivo de receber recursos não é uma tarefa fácil, principalmente quando falamos em uma instituição como o BNDES, cujas liberações são fiscalizadas com mais rigor. É preciso desenvolver um projeto de qualidade, que reúna indicadores sobre sua viabilidade e esteja alinhado ao orçamento estadual ou municipal. O acompanhamento da aplicação das verbas, depois de aprovadas, também é essencial.  

Alguns dos pontos primordiais para captar recursos com eficiência passam pelo preenchimento correto do que é pedido pelo Banco de Desenvolvimento e pela definição do tipo de financiamento que será solicitado. Os itens solicitados vão depender da linha escolhida. Mas, de uma forma geral, é preciso detalhar o que é o projeto, como é feita a governança, qual o mercado potencial da inovação e seus aspectos jurídicos.  

Além disso, é recomendado contar com uma equipe de gestão, preferencialmente multidisciplinar (cada um respondendo pela sua área de atuação). Estes profissionais terão como responsabilidade monitorar o processo desde o início do planejamento até a prestação de contas.  

É válido destacar também a importância dos softwares específicos para o gerenciamento de projetos cofinanciados. Eles agregam inteligência ao processo e garantem que nenhuma informação se perca no caminho. Um ganho adicional é que estas soluções muitas vezes possuem ferramentas que ajudam na prestação de contas aos órgãos financiadores, demonstram os investimentos realizados, apoiam no planejamento físico e financeiro dos produtos do programa. Desta forma, você tem a tranquilidade de saber que está sempre seguindo as regras.  

Além do financiamento BNDES, os estados e municípios podem recorrer ainda a organismos internacionais para obter os recursos necessários para seus projetos. Nós já falamos um pouco sobre esse tema nos artigos Projetos de infraestrutura, como captar recursos externos e Captação de recursos externos: saiba onde buscar verbas.

Tem interesse em saber mais sobre cofinanciamento? Continue navegando no nosso portal para obter mais informações sobre este e outros temas ligados à administração pública. Caso tenha outras dúvidas, nossa equipe de especialistas está sempre à disposição para atendê-lo.