Uma Iniciativa Logo Softplan

Cofinanciamento depende da natureza do projeto

2 min. para leitura 13/05/2015

Na hora de solicitar um financiamento externo, o gestor precisa saber onde buscar o recurso. A Secretaria de Assuntos Internacionais – SEAIN recomenda, inclusive, que uma pesquisa detalhada seja realizada entre os agentes financeiros. Para chegar a um aporte internacional, o gestor precisa conhecer a fundo a natureza do projeto, saber onde e quando buscar o dinheiro e, acima de tudo, seguir as boas práticas para conquistar o financiamento.

naturezadoprojeto

Cada projeto cofinanciado se encaixa em uma linha de crédito específica, de acordo com a sua natureza, e os agentes possuem um portfólio de opções, onde os possíveis proponentes podem fazer a consulta. A SEAIN indica que o mutuário se certifique que há interesse no aporte, além de verificar as condições  financeiras da operação de crédito externo. No entanto, o ponto chave dessa busca está nas condições de financiamento (prazo de amortização, juros, procedimentos), já que os princípios de economicidade pesam bastante na avaliação dos pleitos junto à secretaria.

As solicitações de pleito são feitas diretamente à SEAIN, via SEAIN-SIGS, de acordo com os projetos do setor público e das políticas de atuação e condições financeiras dos organismos internacionais de crédito, sempre em conformidade à natureza da proposta apresentada. Por isso, antes de solicitar o subsídio, o contrato de financiamento passa a ser uma ferramenta do cotidiano dentro de uma unidade de financiamento. Entre as principais questões contratuais e operacionais para o aporte de recursos financiados destacamos três pontos:

1 – Condições prévias ao primeiro desembolso (aporte inicial)

2 – Regras de câmbio para os tipos de desembolso (demais aportes)

3 – Planejamento financeiro das atividades x plano de aquisições

Para evitar erros, é importante que o gestor sempre observe o que preconiza o contrato de financiamento. As regras e procedimentos esperados pelo agente financiador, de alguma forma, sempre constam no documento. Outro ponto fundamental é a capacitação dos colaboradores da Unidade de Gerenciamento dos órgãos públicos. Frequentemente os agentes financiadores disponibilizam cursos e workshops que atualizam os mutuários sobre os processos utilizados, facilitando o entendimento e mitigando sucessivos erros. Adicionalmente, uma ferramenta de gestão informatizada permitirá alinhar as equipes de gerenciamento de projetos com boas práticas, possibilitando que os colaborares exercitem mais a análise das informações e não somente a geração das mesmas.

Acompanhe aqui no portal todas as orientações sobre como conquistar um financiamento externo, desde a definição da proposta até a prestação de contas. Caso queira mais detalhes sobre como começar o processo, aproveite o Resumo do “Manual de Financiamentos Externos” que acabamos de publicar em nossos materiais educativos. Se você precisa de mais informações sobre como a natureza do projeto direciona a busca do cofinanciamento, tem sugestões ou dúvidas, aproveite o espaço abaixo e compartilhe conosco.