Uma Iniciativa Logo Softplan

Melhores práticas para atualização de orçamentos de obras públicas

2 min. para leitura 12/02/2018

Um orçamento de obras públicas bem detalhado nos termos da Lei 8.666 deve considerar os custos diretos e indiretos envolvidos na execução da obra. Os custos diretos são aqueles apontados pelos serviços listados na planilha de orçamento e também seus insumos, como materiais, mão de obra e equipamentos, cujo valor pode ser imputado sem ambiguidade. Os serviços de apoio, como a implantação do canteiro de obras, mobilização de equipamentos, instalação provisória de escritório, refeitório e banheiros, entre outros, são considerados custos indiretos.

Além disso, para obter o valor final do orçamento, é necessário calcular o BDI (Bonificação e despesas indiretas). É um percentual aplicado sobre o custo para calcular o preço final.  Esse percentual contempla as despesas de administração da obra, como aluguéis, água, energia, telefone, tributos e impostos; além do lucro obtido pela empresa para a execução da obra. O percentual de BDI pode variar muito de uma obra para outra.

No entanto, nem sempre as obras públicas são licitadas logo depois da elaboração do orçamento. Assim pode ser necessário fazer alterações nos preços dos insumos utilizados nos serviços e outras variáveis. No post de hoje, vamos apresentar algumas boas práticas para atualizar o orçamento de obras públicas.

3 dicas para atualização de orçamento de obras públicas

Contrate um software de gestão de obras

Uma solução de gestão de obras integra as várias fases de execução de uma obra pública. Ele permite manter um banco de dado de referência com os preços dos insumos, materiais e serviços. O Obras.gov, por exemplo, ainda permite importação dos dados do SINAPI, além de padronizar o orçamento de referência para contratação de obras, possibilitar a gestão e alterações contratos, como aditivos e paralisações.

Um software de gestão de obras aumenta a produtividade em um órgão público, pois realiza as atualizações de forma automática e reduz os erros nos cálculos matemáticos, já que por ser uma solução automatizada não é necessário inserir fórmulas, como acontece nas planilhas de excel.

Mantenha as versões anteriores

É importante manter as versões anteriores do orçamento de obras, caso seja necessário fazer análise nas mudanças de preços que ocorreram durante a execução da obra pública.

 Acompanhe a evolução dos preços

É necessário acompanhar a evolução dos preços referenciais para que os orçamentos de obras públicas estejam alinhados e compatíveis com os de mercado, antes da publicação do edital de licitação. Essa etapa combinada com a contratação de um software de gestão de obra, torna a execução mais eficaz, pois permite que o preço final da obra seja justo e com equilíbrio financeiro entre as partes envolvidas na contratação.

Agora que você já conhece algumas boas práticas para atualizar o orçamento de obras públicas, saiba mais sobre os desafios das medições de obras públicas no nosso portal.

Foto: Fabio Arantes/ secom